Deixe um comentário

Kylie Minogue fala sobre seus fãs, “X”, “Aphrodite” e muito mais em recente entrevista

Kylie em promoshoot para o álbum XÉ difícil acreditar que 25 anos se passaram desde o lançamento do hit “Locomotion” e que, desde então, Kylie Minogue tornou-se uma das cantoras mais queridas e bem sucedidas do pop ao redor mundo.

Em um ano cercado de lançamentos incríveis, ela não dá sinais de que irá parar tão cedo: em 2012, já embarcou em uma turnê, atuou em “Jack & Diane” e “Holy Motors” e lançou 2 greatest hits – um deles, “The Abbey Road Sessions”, que conta com versões revisitadas de seus grandes sucessos.

Parece muito para uma única cantora, mas não para Minogue. Horas antes de subir ao palco do “Dancing With The Stars”, a cantora falou com o “Huffington Post” sobre a posição privilegiada que se encontra e a consolidada base de fãs que conquistou:

“Eles me ofereceram a oportunidade de fazer várias coisas, como a ‘Anti Tour’. Eu sei que não posso realizar uma turnê tão simples como as que realizei no início da minha carreira. Eu preciso desse ar desafiador e isso, definitivamente, é interessante para mim”.

Falando sobre o início de sua carreira, é impossível não deixar de citar musicas como “The Locomotion” e “I Should Be So Lucky”, que após 25 anos sendo executadas de maneiras diferentes, oferecem uma vasta gama de versões para ser escolhida como ‘a favorita’ pela cantora:

“Com o ‘The Abbey Roads Sessions’ acho que algumas versões se tornaram melhores do que as originais. Eu sou completamente subjetiva, por isso é difícil de responder, afinal cada música tem memórias diferentes. Como ‘Never Too Late’: eu prefiro a nova versão”.

https://i0.wp.com/www.kylie.com.br/wp-content/uploads/2012/11/nevertoolate2.jpg

Kylie confessa que certas músicas, penteados, roupas e filmes são desastrosos no seu passado, e que adoraria trancá-los eternamente em um quarto. Assim como houve canções lindas, as mais simplórias também tiveram seu lugar, como é o caso de “One Boy Girl” – recentemente apresentada na “Anti Tour”:

“Eu chamei a banda e disse: ‘se preparem, isso vai ser muito ruim’. Há definitivamente canções que nunca deveriam ter visto a luz do dia. Felizmente, há poucas delas.

Quanto as canções que não receberam devida atenção e não tiveram a oportunidade de virarem single, Kylie cita “Speakerphone”, “Like a Drug” e “Too Much”:

“O ‘X’ tinha tantas canções com potencial para singles que as escolhas foram difíceis. No ‘Aphrodite’, cogitávamos “Too Much” como primeiro single. Quando um álbum esta sendo feito, muito pode mudar dependendo das músicas que são gravadas”.

Quando o assunto é a vida particular, a cantora considera os sábios conselhos de seu pai como os melhores que já recebeu:

“Vou listar dois. Um diz que é absolutamente normal dizer não e o outro é confiar nas opiniões das pessoas que você respeita. Eu não sei se tenho seguido esses conselhos sempre, mas é assim que você aprende, não é?”

Você lê mais desse especial clicando aqui.

As informações são do KYLIE.com.br.

Sobre Marcelo Henrique

"Entre no The Breakout e fuja desse mundo tão real."

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: